Revista Pensando Famílias

“Pensando Famílias” é uma publicação regular do DOMUS – Centro de Terapia de Casal e Família visando a divulgação de artigos inéditos referentes às áreas de casal e família. As modalidades dos trabalhos aceitos incluem artigos teóricos, relatos de pesquisa e casos clínicos, artigos de revisão e/ou atualização bibliográfica, resenhas e outros que serão submetidos para avaliação da Comissão Editorial, Conselho Editorial e Consultores ad hoc.

Textos, posicionamentos teóricos e ideológicos, contidos nos trabalhos propostos, são, unicamente, de responsabilidade do autor.

Nos últimos anos, evidenciou-se a progressiva consolidação do uso da terapia familiar em nosso meio. Neste processo tornou-se óbvio que não há somente um único paradigma ou teoria que contenha todas as respostas para as mais variadas circunstâncias da vida humana.

Nossa sociedade traz mudanças com tal rapidez que nos obriga a uma constante adaptação, inclusive, resultando em modificações em nossa maneira de pensar e viver. Não podemos nos fechar, assim, em teorias ou paradigmas que nos cerrem a possibilidade de novas reflexões e práticas. O novo nos instiga a experimentar, porém, isto não deve nos levar a esquecer do “já conhecido”, pois este fundamenta nossa prática atual.

A proposta deste segundo número de nossa revista, ao trazer diversos temas de interesse, é servir de estímulo para refletir sobre diferentes perspectivas de pensar.

Em seu artigo, Dora Schnitman expande a noção de diversidade, vinculada a diferenças culturais, de classe, de gênero ou de desenhos alternativos das novas configurações familiares, tratando de compatibilizá-la, de algum modo, à complexidade dos modelos para aproximá-los à complexidade e diversidade das famílias.

Carlos Arturo Molina-Loza escreve sobre a utilização de contos como intervenção terapêutica no resgate de recursos de saúde.

Helena C. Hintz e Homero Eschiletti relatam uma experiência de grupo cujo objetivo era o resgate de vínculos familiares com pessoas que haviam optado por abandonarem esses vínculos.

Marli K. Sattler aborda o difícil tema da violência conjugal com considerações sobre o que leva a mulher a permanecer em uma relação que lhe traz tantos sofrimentos.

Saul Fuks apresenta os conflitos como construções comunicacionais e constrói uma perspectiva colaborativa para a solução dos mesmos.

Iara Camaratta Anton traça reflexões sobre o exercício profissional, comparando alguns aspectos das teorias e práticas psicanalítica e sistêmica.

Paula C. Hintz faz algumas considerações sobre a onipotência como mecanismo de defesa, dentro de uma perspectiva individual e familiar.

Adrianna Zucchi, Lindoia Cusinato et al. mostram o importante papel do acompanhante terapêutico e trazem informações básicas sobre a utilidade dessa prática.

I. Hallal, S. Halpern e N. Bertoldi elaboram um ensaio teórico sobre o paradigma sistêmico-cibernético e o modelo ecológico como forma de entender e intervir nas interrelações entre o indivíduo e o ambiente.

Esperamos que os leitores possam usufruir das idéias aqui apresentadas e que possamos compartilhar e ampliar os diversos pontos de vista.

Cumpre-nos ainda dizer, dolorosamente, que não contamos mais com a presença de nosso querido amigo, colaborador e sócio Dr. Dirceu Antonio De Conto, que faleceu em 26 de outubro de 1999, deixando uma lacuna inestimável em nossos corações.


Helena Centeno Hintz

Resumo
En este articulo se presenta una perspectiva sistémico-generativa basada en los nuevos paradigmas y en el reconocimiento de la diversidad para la construcción de posibilidades y recursos. Ofrece una grilla para reconocer estos recursos, con los que pueden construirse tramas mediante el entrecruzamiento de los parámetros y técnicas por las diferentes tradiciones sistémicas y la dinámica de los procesos emergent. Los nuevos paradigmas y los enfoques discursivo-narrativos de la sistémica permiten entender las relaciones humanas como sistemas comunicativos de creación conjunta de significados, en los que se construyen prácticas, relaciones, identidades y otras formas de realidad social en coevolución. La focalización en estos procesos generativos y lo que puede ser creado, permite apoyarse en la singularidad y diversidad de cada familia, y de cada relación profesional para construir -frente a problemas y conflictos- futuros posibles. La palabra “diversidad”, del latín diversitas, alude a la variedad y deferencia de perspectivas y prácticas. En este articulo se expande la noción de diversidad, tradicionalmente vinculada a diferencias culturales, de clase, de género o de los diseños alternativos de las nuevas organizaciones, familiares. Se trata de compatibilizar de algún modo la complejidad y diversidad de los modelos para acercarlos a la complejidad y diversidad de las familias. Este abordaje conceptual y práctico propone una estrategia constructiva para transitar los nuevos espacios familiares, ofreciendo a familias y profesionales la posibilidad de trabajar construir y reconstruir sus recursos en el proceso.

Dora Schnitman

Resumo
Sob forma de diálogo com um interlocutor imaginário, o autor faz um breve histórico da utilização de contos na intervenção terapêutica. A seguir apresenta um exemplo do seu próprio trabalho. A partir do relato do cliente, o autor elabora a primeira parte de um conto (de fadas) que, além de conter de forma metafórica sua história pessoal, resgata os seus principais recursos de saúde. Ao solicitar do cliente que escreva um desfecho para a história, permite-se que seja ele quem, também de forma metafórica, abra novos derroteiros para sua vida. O trabalho é concluído com uma reflexão sobre as razões da eficácia deste tipo de interação e a importância crucial que, para o crescimento do terapeuta, possui a palavra do cliente.

Abstract
In a dialog form with an imaginary interloculor, the author tells a brief history about the usage of fairy tales in the therapeutic intervention. Then he presents an example of his own work. Using the patient’s testimony he elaborates the first part of the fairy tale, that, besides containing the patient’s personal history in a methaforic form, rescue his main resources of health. Asking the patient to write an ending for his story, lets him, in a methaforic way, create a new direction for his life. This work ends with a reflection about the effectiveness of this kind of intervention and the crucial importance of the patient’s words for the therapist’s growth.

Carlos Arturo Molina-Loza

Resumo
A busca por entender o contexto que leva pessoas a se isolarem de suas famílias, quer a de origem ou a nuclear atual, estimulou-nos a iniciar uma nova experiência de tratamento sistêmico com um grupo de homens em situação de rua. A escolha recaiu sobre estes homens por se apresentarem, no momento, inteiramente afastados de suas famílias, morando em um albergue em Porto Alegre. O grupo, composto por sete homens, com idades entre 30 e 55 anos, teve uma série de atendimento de dez sessões, com a freqüência de uma vez por semana, realizadas no Domus – Centro de Terapia de Casal e Família, Porto Alegre. O objetivo inicial era possibilitar que cada um deles pudesse regatar algum vínculo familiar, não importando a especificidade do mesmo. Durante o desenrolar das sessões, tornou-se evidente a complexidade do problema, porém a busca por vínculos com a família de origem foi unânime e o resgate com os familiares significativos foi surpreendente. Esta experiência permitiu-nos levantar e discutir idéias das possíveis motivações que levam pessoas a abandonarem tudo e todos que lhes são próximos, para passarem a compartilhar espaço com outras pessoas nunca antes conhecidas.

Abstract
The search for understanding the context that takes people to isolate from their families, even the original or the current one, stimulated us to initiate a new experience of treatment system with a group of men from the streets. The choice fell again on these men as they presented themselves, at the moment, entirely moved away from its families, living in a shelter at Porto Alegre. The group, composed by seven men, aging between 30 and 55 years, had a series of a ten-sessÍon attendance, with the frequency of once a week, carried through at Domus – Center for Couple and Family Therapy, Porto Alegre. The initial objective was to make possible that each one of them could rescue some familiar bond, disregarding the specifics of it. As sessions took place, the complexity of the problem became evident, however the search for bonds with the original family was unanimous and the link to the significant ones was surprising. This experience allowed us to raise and to discuss ideas of the possible motivations that take people to abandon everything and everyone that are close to them, to start sharing space with other people never known before.

Helena C. Hintz e Homero Eschiletti

Resumo
Ao escutar relatos de casos com violência conjugal, as pessoas sempre perguntam por que a mulher permanece com o companheiro. O texto tenta responder essa pergunta, discutindo fatores que dificultam a mulher sair dessa relação.

Abstract
When people listen to cases about marital violence, they always ask why the woman stays with the partner: The text tries to answer this question discussing factors that make difficult to the woman to leave this relationship.

Marli Kath Sattler

Resumo
Los conflictos constituyen una importante parte de la vida institucional, de las estructuras políticas y de las dinámicas comunitarias. En un mundo cada vez mas complejo, cambiante, incierto y diverso, el funcionamiento propio de las organizaciones genera multiplicidad de malestares y dificultades, que afectan a quienes tienen parte activa en el funcionamiento, tanto como a quienes reciben los servicios o productos de ellas. Muchos de estos conflictos impactan negativamente en las personas, grupos o instituciones por su carácter erosivo sobre las relaciones personales o de trabajo. No obstante, no todas las disputas implica necesariamente una evolución desgastante y destructiva y bajo ciertas condiciones los conflictos pueden significar una oportunidad para crecimiento y el desarrollo. No todas las diferencias conducen necesariamente a peleas y disputas, ni deben sostenerse en una lógica de “ganadores” y “perdedores”; existen condiciones en las que es posible fortalecer las relaciones colaborativas, incrementando la tolerancia y comprensión. El que las conflictivas “normales” se conviertan en “problemas”, “polarizaciones”, “conflicto de intereses”, “diferencias ideológicas insalvables”, depende – en parte – de características singulares de las situaciones y sus contextos, pero también están condicionadas por el modo en que se los construye socialmente. Los conflictos evolutivos o críticos pueden convertirse, bajo ciertas condiciones, en alternativas y opciones para el crecimiento de las personas y de las organizaciones que estas habitan. Y esta es una visión que trasciende una concepción de “ángeles o demonios “.

Saul Fuks

Resumo
Esse artigo, muito informal, não traz referências bibliográficas porque pretende, apenas, compartilhar reflexões acerca do exercício profissional. A idéia de se comparar alguns aspectos das teorias e da prática psicanalítica e sistêmica permeia todo o texto, explicitando hipóteses e indagações compartilhados por muitos colegas, no momento atual da história. É indispensável, para bem compreender o homem e a humanidade e. efetivo exercício da psicoterapia, estudar e aplicar recursos que estão a nosso dispor e que muito mais se completam do que se opõe.

Abstract
This informal article does not bring bibliographical experiences because it’s intended to only share reflections about the professional practice. The idea of comparing some aspects of the psychoanalytical and systemic theory and practice is all over the text, clearing hypothesis and questions shared by many colleagues. It is essential, to understand the mankind and to work with psychology, study and apply those recourses that are available and that much more complete each other than otherwise.

Iara Camaratta Anton

Resumo
O presente trabalho tem como objetivo um breve estudo sobre incrementos da onipotência que desencadeiam métodos de defesa e de refúgio em um determinado tipo de funcionamento psíquico – neste caso, um adolescente com um núcleo depressivo. A partir de conceitos teóricos, a autora se propõe a uma discussão do tema, utilizando-se de dados da história do paciente, da família e vinhetas clínicas.

Abstract
The present work has as objective a briefing study on the omnipotent aspects that unchain methods of defense and shelter in one certain type of psychic activity – in this case, an adolescent with depressive personality. From theoretical concepts, the author proposes an approach to the subject, using data from the patient history, the family history and clinical vignettes.

Paula Centeno Hintz

close-link