Revista Pensando Famílias

“Pensando Famílias” é uma publicação regular do DOMUS – Centro de Terapia de Casal e Família visando a divulgação de artigos inéditos referentes às áreas de casal e família. As modalidades dos trabalhos aceitos incluem artigos teóricos, relatos de pesquisa e casos clínicos, artigos de revisão e/ou atualização bibliográfica, resenhas e outros que serão submetidos para avaliação da Comissão Editorial, Conselho Editorial e Consultores ad hoc.

Textos, posicionamentos teóricos e ideológicos, contidos nos trabalhos propostos, são, unicamente, de responsabilidade do autor.

A comunicação oral ou escrita, verbal ou não verbal possibilita o relacionamento humano, transmitindo sentimentos, pensamentos, condutas específicas do homem. A comunicação, que se expressa através da linguagem, é a fundamentação do diálogo que transcorre entre os seres humanos e, nessa interação, vão se construindo os significados de nosso mundo interno ou externo.
No desenvolvimento da terapia familiar, a comunicação tem um aspecto de especial importância e a linguagem, como meio de sua expressão, tem sido objeto de estudo por vários profissionais talentosos.
Nesta edição, oferecemos vários artigos que, de uma forma ou outra, abordam a comunicação como elemento primordial na terapia.

Iniciamos com Boscolo e Bertrando, terapeutas italianos, que desenvolvem um novo modo de analisar o vocabulário terapêutico, utilizando a conexão entre a linguagem dos clientes e terapeuta. A linguagem deixa de ser um meio de comunicação, passando a ser como uma finalidade na terapia, pois, através dela, podemos compreender a forma em que os clientes constroem a própria realidade.

A seguir, Beatriz Coutinho e Gyslaine Matos escrevem sobre a experiência de intervir terapeuticamente através dos contos de tradição. Utilizam o conceito de Maturana sobre interação ortogonal onde ele aplica a ação terapêutica livre dos limites que outras intervenções criam. A palavra terapêutica com sua ampla configuração, exposta detalhadamente no texto, é a aplicação prática deste conceito.

Carmen Labres e Patrícia Souza referem a importância de uma comunicação adequada nos casais resilientes, apontando para um modelo de relacionamento que funciona bem, transformando experiências desestabilizadoras em comportamentos adaptativos e saudáveis.

Judith Landau e Jack Saul apresentam o método LINC (Modelo facilitador de resiliência das comunidades) onde exploram alguns fatores fundamentais na desorganização e na recuperação das comunidades quando ocorre um evento traumático. Os autores preocupam-se em trabalhar com a resiliência das comunidades, visando a identificação dos componentes críticos de ajuda e a criação de uma matriz de recuperação das mesmas.

Passando para a palavra escrita, Ana Cláudia Meira discorre sobre o desconforto que muitos estudantes e profissionais sentem frente à necessidade de elaborar uma produção científica. Refere que a motivação para a escrita localiza-se em camadas profundas das instâncias psíquicas: no inconsciente. O escrever expõe, muitas vezes, as falhas ou imperfeições, colocando à prova a estrutura narcísica do indivíduo, podendo gerar-lhe sentimentos negativos e dificuldades ao realizar esta tarefa.

M. Goreti Stadtlober reflete sobre os benefícios que a tecnologia em ambientes virtuais pode trazer às pessoas portadoras de dificuldades de aprendizagem ou dislexias. Ela diz que, sendo os problemas de dislexias marcadamente biológicos e interferindo no aspecto psicológico, eles podem ser suavizados pela ação afetiva da família.

Cristina Brito Dias aponta a importância da relação dos avós com os netos na vida familiar e na sociedade. A imagem daqueles vem se modificando, ocasionada por fatores como longevidade e maior participação da mulher no mercado de trabalho. São pessoas calorosas, saudáveis e muito ativas e, freqüentemente, assumem o cuidado com os netos por prazer.

Esalba Silveira apresenta os resultados de uma pesquisa realizada no Hospital de Clínicas de Porto Alegre com candidatos à cirurgia de redesignação sexual, vinculados ao PROTIG – Programa de Transtorno de Identidade de Gênero.Esta pesquisa tinha o objetivo de conhecer como as famílias enfrentavam a questão da transexualidade em um de seus membros.

Finalizamos com o artigo de Adriana Obino et al. sobre uma consultoria de um atendimento familiar em que se propicia o rompimento do isomorfismo.

Desejamos a todos uma agradável e proveitosa leitura.

Helena Centeno Hintz

Resumo
Este artigo pretende mostrar os resultados de uma pesquisa realizada junto às famílias dos pacientes vinculados ao PROTIG- Programa de Transtorno de Identidade de Gênero, do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, candidatos à cirurgia de redesignação sexual, por ocasião do ingresso no programa, pesquisa esta que tinha a intenção de conhecer como as famílias enfrentavam a questão da transexualidade de um dos seus membros. Os dados apontados serviriam para estabelecer as estratégias de intervenção que melhor responderiam às necessidades destas famílias e dos pacientes. Este texto, no entanto, limitar-se-á à etapa da aproximação com esta realidade, sendo a intervenção objeto de artigos futuros. Os resultados apontaram que as mães e irmãs foram as que compareceram ao atendimento, que as famílias pouco conheciam sobre transexualismo e apresentavam intenso sofrimento; alguns pacientes precisaram se afastar do convívio familiar, bem como foi observado haver a presença de preconceito intrafamiliar, reeditando os padrões da sociedade e da cultura onde estavam inseridos.

Palavras-chave: Identidade de gênero; transexualidade; família.


From the Parole to Freedom: the Family and the Transexuality

Abstract
This article intends to show the results of a research carried out with families of patients attend the PROTIG Program of Gender Identity Disorder, of Hospital de Clínicas de Porto Alegre, who became eligible to sex change surgery upon joining the program. Thus, the objective was to learn how the families face the issue of transsexualism of one its members, so as to establish intervention strategies that best respond to those families’ and patients’ needs. This paper, otherwise, will limit to an stage of approximation of the reality and, the intervention will be object of further articles. The results point out that mothers and sisters were the ones that attended; the families knew little about transsexualism and presented intense distress; some patients had to move away from family life; and there was also presence of prejudice within the family, reproducing the society and culture in which they were inserted.

Keywords: gender identity; transsexualism; family.

Esalba Silveira

Resumo
No presente trabalho apresentamos uma breve revisão da literatura sobre a importância dos avós na vida familiar e para a sociedade. Posteriormente, apresentamos resultados de três pesquisas realizadas com avós e netos, sendo estes tanto adolescentes, como universitários. Finalizamos tecendo algumas implicações desta relação para a clínica.

Palavras-chave: interação familiar; relacionamento intergeracional; avós; netos.


Theoretical Aspects of Grandparents and Grandchildren’s Relationship

Abstract
The aim of this paper is to present a brief review on literature on grandparents importance in family life and society. The paper show as well some results studies with grandparents and granchildren, adolescents as well as college students. At the end, clinical application is considered about the relationships grandparents-grandchildren.

Keywords: family interation; intergenerational relationship; grandparents;

Cristina Maria de Souza Brito Dias

Resumo
Esta reflexão esclarece que as dificuldades de aprendizagem ou dislexias podem ser amenizadas quando mediadas pela tecnologia em ambientes virtuais. A dificuldade que muitas vezes, alunos e professores têm para se auto-organizarem no tempo/espaço do conhecimento, resgatarem sua autonomia, superarem-se, precisa ser vista como desafio, visto que, a ciência, através das teorias da enação, da auto-organização e da complexidade, ao interpretar o sujeito como co-participante da natureza, já o incluiu, e, com isso, vem contribuindo na superação do problema. Sobretudo, as pesquisas da neurociência têm demonstrado que a cognição está envolvida na consciência e no mundo das experiências, simultaneamente. Essa constatação sugere que problemas de dislexias são marcadamente biológicos, interferem no aspecto psíquico, mas podem ser amenizados quando o afeto familiar se sobrepõe.

Palavras-chave:Ação orientada, espaço/tempo, ambientes virtuais, dislexias.


The Challenge Learning Difficulties in Virtual Environments: When the Actions in Time/Space are Oriented by Self

Abstract
This reflection clarifyes that learning problems or dyslexia can be minimezed when mediated by technology in virtual environment. Often, students and teachers have difficulties to organize themselves in time and space of knowledgement, to rescue their autonomy, to overcome, and need to be seem as a challenge. This happens because the science, through the theories of enaction, self organization and complexity, interpreting the human being, as a partner of the nature, includes himself, and, as a result, contributes to surpass the problem. Thus, the neuroscience’s research have shown that the cognition is involved in consciousness and in the world of the experiences, simultaneously. This verification suggests that problems of dyslexia are biologic and interferes in the psychic aspects, but could be minimized with the family affection.

Keywords: Oriented action, time space, virtual environments, dyslexia

Maria Goreti Amboni Stadtlober

Resumo
Pode-se constatar que a realização de trabalhos científicos na área da Psicologia vem acompanhada de sentimentos, em geral, negativos. Um dos aspectos que influencia uma relação de distanciamento e resistência é o confronto que o escrever impõe com nossas imperfeições, faltas e falhas, já que o texto se estrutura muito lentamente, desafiando a cada passo nossa estruturação narcísica. Este artigo tem o objetivo de compreender as dificuldades com relação à escrita de trabalhos, sob a ótica do narcisismo.

Palavras-chave: Psicologia, escrita, narcisismo, trabalhos científicos, produção escrita.


Reflections About Writing: the Possibilities and Difficulties of Writing

Abstract
In the field of psychology, it is a well-known fact that the accomplishment of scientific works is associated, in general, to negative feelings. One aspect that contributes to make writing less appealing is the fact that writers constantly have to face their imperfections, errors and faults, due to the fact that the process or creating a text is slow, colliding at each step with our narcissist structure. This article intends to help understand the difficulties of writing scientific papers, in the light of narcissistic theories.

Keywords: Psychology, writing, narcissism, scientific papers, written production

Ana Cláudia dos Santos Meira

Resumo
Este trabalho tem por objetivo discutir o impacto dos eventos traumáticos e dos grandes desastres nos indivíduos, nas famílias e nas comunidades, apresentando o método LINC (Modelo facilitador de resiliência das comunidades (Landau-Stanton, 1986, 1990; Landau, 1991, 2003), onde são explorados alguns fatores chaves na desorganização e na recuperação das comunidades, tais como: o processo, a função, a estrutura, a dinâmica e organização dos sistemas familiares e da comunidade, e as transições e mudanças que ocorrem na vigência de um evento traumático. Ao final, os autores propõem um modelo da resiliência das comunidades, para auxiliar os profissionais em abordagens multissistêmicas a longo prazo, com a finalidade de identificar os componentes críticos de ajuda, e de criar uma matriz de recuperação junto às comunidades.

Palavras-chave: eventos traumáticos, resiliência, recuperação da comunidade.


Facilitating Family and Community Resilience in Response to Major Disaster

Abstract
This paper has the goal to discuss the impact of the traumatic events and major disasters on individuals, families and communities, presenting the LINK Method Community Resilience model (Landau-Stanton, 1986, 1990; Landau, 1991, 2003). Some key factors are explored in the communities disorganization and recovery such as: the function, structure, dynamics and organization, transitions and changes of families and communities systems facing a traumatic event. At the end, the authors suggest a community resilience framework to support professionals in multi-systemic long term approaches, to identify critical components of help and create a matrix of healing throughout community.

Keywords:: traumatic events, resilience, community recovery.

Judith Landau e Jack Saul

Resumo
O presente artigo discute, dentro de uma perspectiva sistêmica, alguns aspectos relevantes no que se refere à importância da comunicação adequada que se fazem presentes nos casais resilientes. Percebemos a dificuldade dos casais contemporâneos em equilibrar suas demandas individuais e conjugais e a necessidade iminente dos profissionais da área da saúde entender e ajudar os casais a se comunicarem adequadamente para a resolução dos conflitos que surgem no decorrer da vida a dois.

Palavras-chave: casal, resiliência e comunicação.


Couples Communication and Resilience: a Correlation

Abstract
This paper examines, in a sistemic perspective view, some significant aspects regarding to the importance of the adequate communication that are present in resilient couples. We realize how difficult it is for the contemporary couples to equilibrate their individual and marital demand, and the imminent need that we, professionals in the health area, can understand and help couples to communicate satisfactorily to the resolution of the conflicts that appear in the elapse of a marriage.

Keywords: couple, resilience and communication.

Carmen Lúcia de Souza Labres e Patrícia Pacheco de Souza

Resumo
Humberto Maturana chama de interação ortogonal uma ação terapêutica que dispensa os limites das intervenções estratégicas e evita a dicotomização dos processos de mudança de primeira e segunda ordem. O uso dos contos de tradição dentro da experiência das autoras é proposto como uma maneira de intervir ortogonalmente. “Palavra terapêutica” é uma combinação de uma história, de uma estética, de um espaço que se abre para a dimensão do imaginário, de uma relação que inclui num mesmo nível família e terapeuta, de linguagens várias, de diferentes modelos… todos esses elementos construindo uma narrativa oral, imagética e plástica como um fluxo de significações que relacionam a experiência vivida com o pensar, o ouvir, o sentir, organizando-se em novas construções.

Palavras-chave:interação ortogonal; palavra terapêutica; narrativa oral.


The Therapeutic Word and Orthogonal Interaction

Abstract
According to Humberto Maturana orthogonal interaction is a therapeutic action which disposes of the strategic interventions limits and avoids distinguishing first and second order changing processes.Using traditional stories within the authors’ experience is put forward as a way to intervene orthogonally “Therapeutic word” combines a particular history, an aesthetics, an outlook that is open to the imaginary outlook, a relation that includes family and therapeutist at the same level, multifaceted languages, and different models. All these elements weave an oral imagetic plastic narrative like a stream of meanings that relate gone through life expiriences with thinking, listening, and sensing, at the same time organizing itself as new constructions.

Keywords: Orthogonal interaction; therapeutic word; oral narrative.

Beatriz Coutinho e Gislayne Avelar Matos

Resumo
Com a entrada em nosso campo de conceitos como a construção e a co-construção da realidade, a subjetividade do conhecimento, a auto-reflexividade, passamos a ver a linguagem não mais como um simples meio, mas como uma finalidade da terapia, uma vez que, ao centrarmos a atenção sobre as palavras e sobre o modo como os clientes falam, podemos compreender a forma como constroem a própria realidade.

Palavras-chave: construtivismo; linguagem; palavras; retórica; narrativa.


Systemic Therapy and Interest Language for the System Organization to Language Centrality

Abstract
With the advent of concepts such as construction and co-construction of reality, subjectivity of knowledge and self-reflexivity in our work field, we shall no longer see language as a means of therapeutic process, but instead as the therapy goal. As we focus our attention on words and the way clients speak we may understand how they build their own reality.

Keywords: constructivism; language; words; rhetoric; narrative.

Luigi Boscolo e Paolo Bertrando

Resumo
Este é o relato de um atendimento familiar realizado por membros do corpo clínico do DOMUS – Centro de Terapia de Casal e Família em Porto Alegre, Brasil. A principal característica desta família era não permitir a entrada de novas pessoas no sistema. Tanto o recurso de supervisão quanto a consultoria foram utilizados e considerados efetivos na resolução do impasse terapêutico. Este trabalho também discute aspectos do isomorfismo na prática da terapia de família.

Palavras-chave:

Breaking with Isomorphism: Consulting in Family Therapy

Abstract
The following paper reports a family therapy process conducted by staff members of DOMUS – Family Therapy Center in Porto Alegre, Brazil. The main feature of this family was not allowing the entrance of new members into the system. Both supervision and consulting were used and recognized as effective resources in resolution of therapeutical impasses. In this paper the authors also present aspects of isomorphism involved in family therapy practice dilemmas.

Keywords: consulting, isomorphism, family therapy, team.

A. Obino; A. Soares; A. Alves; C. Menezes; C. Giongo; E. Corral; E. Costa; E. Camelier; G. Bronzatti; L. E. Prati; L. Finkler; L. Leyen; M. K. Sattler; P. Lague; P. H. Baginski; Silvia C. Halpern

close-link